Notícias do Fórum


25/8/09
TCU convoca sociedade a combater a corrupção

Diario de Pernambuco [ Política ]
Mesmo diante da onda de escândalos que assola o Congresso, tema ainda desperta pouco interesse

Mesmo com a série de escândalos envolvendo o Congresso, o debate sobre corrupção ainda atrai pouco a atenção da população.

A abertura da 1ª Semana da Cidadania em Pernambuco, ontem, no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), confirma a falta de interesse das pessoas pelo tema. Além do baixo número de participante (cerca de 80 pessoas), as principais autoridades esperadas para o evento mandaram representantes, entre eles o governador Eduardo Campos (PSB) e o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Ubiratan Aguiar.

A proposta do encontro, organizado pelo Fórum Permanente de Controle à Corrupção em Pernambuco (Focco-PE), é capacitar e mobilizar a sociedade para que fiscalize a aplicação dos recursos públicos no estado. Na cerimônia de abertura, a instituição assinou um acordo de cooperação técnica para integrar a Rede de Controle da Gestão Pública, criada em março de 2009, por iniciativa do TCU.

Segundo Evaldo Araújo, secretário de Controle Externo do TCU-PE, a função da rede é aprimorar a integração entre as instituições e órgãos da administração pública. "A ideia é que as instituições promovam ações conjuntas voltadas à fiscalização e controle de recursos públicos", pontuou. A rede de corrupção já conta com a participação de 10 estados brasileiros.

A Semana da Cidadania vai oferecer, até o dia 28, palestras e minicursos sobre temas como políticas públicas, planejamento e controle social, reforma urbana e política habitacional, transparência do gasto público e combate à corrupção. Ontem, o procurador geral da República, Fábio Nobre, alertou para a necessidade de unir os órgãos de fiscalização, a sociedade, os jovens e a mídia. "É importante fazer essa convocação. Existe muita coisa negativa no nosso país, mas ainda é possível mudar", afirmou.

Fábio Nobre lamentou, por exemplo, os dados revelados por uma pesquisa do Ibope/2006, em que 75% dos entrevistados afirmaram que cometeriam atos de corrupção se tivessem oportunidade, 59% disseram que, se fossem autoridades, contratariam familiares e amigos para cargos de confiança e 43% afirmaram que aproveitariam viagens oficiais para lazer próprio e da família. "Mas 85% do povo brasileiro entendeu que ainda é possível combater a corrupção", destacou o procurador.

Na avaliação do auditor Weder Oliveira, que no evento representou o presidente do TCU, entre as inúmeras propostas de combate à corrupção, as mais importantes, no âmbito das instituições de controle, são a busca incessante por métodos de investigação e a produção de provas. "O combate à corrupção, dos pequenos aos grandes atos, é uma ação coletiva indelegável. Uma ação de estado, do povo e de governo". O controlador geral do estado, Ricardo Dantas, representou o governador Eduardo Campos, enquanto o conselheiro Fernando Correira falou em nome do TCE, na condição de presidente em exercício da instituição.

Saiba mais


« Voltar para o índice de notícias